sábado, 4 de fevereiro de 2012

XANGÔ REZADO ALTO


Baque Alagoano na manifestação pública dos 100 anos do Quebra
Em defesa da diversidade e liberdade religiosa o Maracatu Baque Alagoano engrossou fileiras na histórica manifestação pública que reuniu no centro de Maceió, na quarta-feira 1 de fevereiro, centenas de religiosos e simpatizantes das religiões de matriz africana, além de grupos culturais e de maracatu em cortejo que seguiu da Praça Dom Pedro II até a Praça Floriano Peixoto, em defesa da diversidade e da tolerância religiosa. 
 A guerra travada contra os terreiros de candomblé iniciou em 1 de fevereiro de 1912, na cidade de Maceió, perfazendo um total de 30 terreiros invadidos e destruídos, configurando-se num marco de intolerância com conseqüências gravíssimas ao longo das décadas seguintes para a identidade, memória e patrimônio cultural em nosso estado. O lamentável episódio ficou conhecido como o “Quebra dos Xangôs”.
Após o cortejo, os participantes e os grupos culturais se concentraram na Praça Floriano Peixoto, quando ocorreu ato oficial de assinatura de decreto governamental de perdão por ações ou omissões dos poderes constituídos ao longo do tempo em relação à violência desencadeada contra a comunidade afro-alagoana. Ao final, ocorreram apresentações de maracatus e grupos artísticos, o que se repetiu no dia seguinte. O projeto Xangô Rezado Alto é uma iniciativa da Uneal e parceiros, com patrocínio do Fundo Nacional de Cultura.   

Nenhum comentário:

Postar um comentário